quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Acordei falando de amor



Sabe quando você acorda com aquela vontade de gritar para todo mundo ouvir que você ama alguém e ama muito? 
Apesar de não sermos um casal perfeito, de não ficarmos 100% do tempo bem, de nem sempre compreendermos um ao outro como deveríamos, de ficarmos de cara virada por alguns minutos porque o outro foi um pouco seco ou grosseiro, apesar de tudo isso e mais um pouco estamos unidos, juntos mais do que nunca. 
E o melhor é que temos certeza de que sem saber o porquê queremos ficar junto até quando tudo estiver dando certo, até os obstáculos serem superados pela força de nosso amor. E que apesar de nos perguntarmos se estamos fazendo tudo certo, se o outro é a pessoa certa pra gente e nos esquivarmos às vezes do compromisso de estar inteiramente em corpo, alma e coração junto ao outro, nós nos amamos e queremos ser um só.
Há algo que acredito muito que é "Nada é impossível para um coração cheio de vontade", pois nesse tempo que estamos compartilhando do mesmo sentimento, superamos o primeiro obstáculo que é o da distância que é de nos vermos apenas em finais de semana e ter que se deslocar de uma cidade a outra para nos vermos, apesar de perto o trajeto é cansativo, ainda mais quando é feito TODO fim de semana há 1 ano e 10 meses e pretende-se fazê-lo até quando for necessário. 
O amor começa com a atração, depois há o respeito, a paixão e acima de tudo compreensão e vontade para que na primeira pedra no meio do caminho não haja desistências. 
Hoje escrevo isso com lágrimas de felicidade, mas não digo que é pra sempre. 
Mas que seja eterno enquanto dure. 
Obrigada por ser tão compreensivo.
Eu te amo, Ricardo Guariento! 

Um comentário:

  1. Amigo(a) leitor(a) visite o link abaixo e conheça o e-book do concurso haicais de marte, o qual tive a felicidade de vencer com meu haikai “Arrozal” na categoria clássico. Leia o e-book e deixe seu comentário, ele é muito importante. Desde já agradeço.

    http://haicaienaomachuca.blogspot.com.br/2013/01/haicais-abduzidos.html

    ResponderExcluir